Dhammapada / Capítulo 9 / Mal


Verso 116
Se rápido na prática do bem,
Afasta a mente do mal.
A mente de quem tarda fazer o bem
Se deleita no mal.

Verso 117
Se fizeres algum mal,
Não o repitas,
Não anseies por ele:
O mal acumulado traz sofrimento.

Verso 118
Se fizeres algo meritório,
Repete-o,
Anseia por ele:
O mérito acumulado traz felicidade.

Verso 119
Até o malvado pode se beneficiar
Enquanto o mal
Ainda não amadureceu.
Mas se já amadureceu,
O malvado
Encontrará o infortúnio.

Verso 120
O virtuoso pode encontrar o infortúnio
Enquanto o bem
Ainda não amadureceu.
Mas se já amadureceu,
O virtuoso
Encontrará a felicidade.

Verso 121
Não desprezes o mal, dizendo:
"Ele não voltará para mim"!
De gota em gota,
Até um cântaro se enche de água.
Aos poucos,
O tolo se enche de maldades.

Verso 122
Não desprezes o mérito, dizendo:
"Ele não voltará para mim"!
De gota em gota,
Até um cântaro se enche de água.
Aos poucos,
O sábio se enche de mérito.

Verso 123
Assim como o mercador
Que leva grande fortuna numa pequena caravana
Evita os caminhos perigosos;
Assim como aquele que ama a vida
Evita o veneno;
Assim deves evitar as más ações.

Verso 124
A mão sem ferimentos
Pode manipular venenos;
O veneno não penetra se não houver uma ferida.
Não há más consequências
para quem não pratica o mal.

Verso 125
Como poeira fina atirada contra o vento,
O mal retorna para o tolo
Que prejudica uma pessoa
Inocente, pura, sem mácula.

Verso 126
Alguns renascem num ventre;
Os maus renascem no inferno.
Os bons vão para o céu
E os livres de toxinas
Imergem no Nirvana.

Verso 127
Não acharás lugar algum no mundo,
Nem no céu, nem no oceano,
Nem numa caverna da montanha,
Onde fiques livre de teu mau karma.

Verso 128
Não acharás lugar nenhum o mundo,
Nem no céu, nem no oceano,
Nem numa caverna na montanha,
Onde a morte não o encontre